Uma Rua ao Frio

O contraste do frio do chão coberto de neve e o calor que vem de dentro do casaco. O choque do ar gelado com o respirar.

segunda-feira, maio 28, 2007

Cheguei, vi e fui vencido!

Ontem regressei a Bruxelas depois de um curto mas óptimo fim de semana em Lisboa.
Depois da longa caminhada solitária da ponta do terminal do aeroporto até à estação de comboio parei na única fila existente, para a única máquina a funcionar que vendia bilhetes para o comboio. Enquanto esperava, alguém falando espanhol pedia ajuda para comprar o bilhete e queria saber que comboio deveria apanhar. Sem problemas tentei ajudá-lo, contudo a máquina só aceitava cartões belgas e nada de dinheiro. De repente vimo-nos ambos numa situação complicada. Disse-lhe que comprariamos no comboio. O meu telefone tocou. Afastei-me das pessoas que rodeavam a máquina e falei por um minuto. Quando desliguei, o senhor que inicialmente se dirigia para mim em espanhol mostrou ser português. No meio daquela troca de cumplicidades patrióticas, o casal que anteriormente estava atrás de nós na fila, dirigiu-se a nós esticando dois bilhetes. Tinham percebido a questão e compraram bilhetes para os dois. Ambos oferecemos dinheiro mas eles recusaram com a frase "welcome to Brussels".
Entrei no comboio e por entre olhadelas pela janela e conversas com o tuga, não parava de pensar no que ali se tinha acabado de passar. Não sei se foi da visita ao nosso país que os influenciou, ou se estavam a pagar uma dívida espiritual, mas fiquei derrotado com aquele acto puramente altruísta, que virou do avesso a minha ideia sobre os belgas, amadurecida ao longo dos nove anos que aqui vivi.
E assim, fico eu a dever uma ao próximo..

2 Comments:

  • At 10:26 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Lembro-me de um texto que escreveste há anos sobre os belgas e a vida na Bélgica. Um texto que a tua professora de português muito apreciou...está certo, muda de agulha. Uma coisa tu não sabes: eram mesmo belgas? Porquê, falavam francês e estavam a chegar á Bélgica? Não; se foi só por isso...não podes concluir que sejam belgas.
    MM

     
  • At 2:07 da tarde, Blogger Nunicius said…

    Eu não mudo nem um palavra desse texto. Aquilo que no momento sentia em relação à Bélgica era exactamente o que escrevi. Hoje sou capaz de ver Bruxelas com outros olhos, mas mesmo assim não é uma cidade que me encanta e muito menos o seu povo. Posso ter conhecido dois exemplares que foram uma boa contrariedade no que sinto em relação aos belgas, mas vejamos, são dois no espaço de nove anos e 24 dias...
    Quanto à certeza de serem ou não belgas, penso que depois de viver aqui nove anos sei reconhecer belgas quando os ouço falar, sobretudo quando até eu próprio a falar francês tenho um sotaque belga..

     

Enviar um comentário

<< Home